26 de agosto de 2011

O Dragão Chinês

dragão chinês
O dragão chinês sempre foi considerado um símbolo de bons presságios e poderes ilimitados como os de um Deus. Considerado como ícone do imperador, o dragão não tem uma conotação agressiva e demoníaca como é simbolizado em outras culturas, mas uma imagem pacífica e tranqüila.

Os sete dragões eram estampados nas roupas que o imperador usava, isso significava que o oitavo e último dragão era aquele que vestia a roupa.


Existem alguns tipos de dragões, dentre eles destacam-se Tien Lung protetor dos deuses, Shen Lung responsável pelo vento e pela chuva, Ti Lung responsável pelos rios e oceanos e Fut's Lung aquele que toma conta dos metais e pedras preciosas.

O dragão chinês é formado por partes de animais conhecidos no nosso mundo, que são:
* cabeça de camelo
* chifres de alce
* olhos de coelho
* orelhas de touro
* escamas de carpa (81 yang + 36 yin = 117)
* rabo de serpente
* patas de tigre e garras de águia (5 = chinesas, 4 = coreanas, 3 = japonesas).

A pérola flamejante que geralmente está segurando significa saúde, boa sorte e prosperidade.

Como nasce um dragão?
Conta-se que toda carpa que conseguir subir o rio Amarela da China até a nascente se tornará um dragão.

Dragão Shenlong
Shenlong significa "espírito de dragão", é um mito chinês em forma de dragão, que controla o vento, as nuvens e a chuva. Ele tem o poder de flutuar no céu e, graças a sua pele azul, dificilmente pode ser visto. Os agricultores chineses pedem a Shenlong que ajudem no plantio e na colheita, pois se ofendido atrairia mau tempo, chuvas e tempestades.

Dragão Pan Gu, o criador do universo

Há um dragão muito importante a ser lembrado do folclore chinês que é Pan Ku ou Pan Gu, o dragão que deu origem ao céu e a terra. A lenda conta que Pan Ku, após 18 mil anos de hibernação dentro do universo, cujo formato era de um ovo, acordou e cortou-o ao meio dando origem ao céu e à terra. Contudo, para que estes ficassem separados ele teve que se manter entre eles como um eixo durante mais 18 mil anos. Ao se dar conta de que o céu e a terra estavam fixos e não necessitavam mais de seu apoio, Pan Ku deitou-se e metamorfoseou-se nos elementos que conhecemos hoje em dia: sua respiração tornou-se vento e nuvem; sua voz em trovão; o olho esquerdo tranformou-se no Sol e o direito a Lua; mãos e pés criaram as quatro direções cardeais e as montanhas; do sangue vieram os rios e dos nervos os caminhos naturais; sua carne tornou-se terra fértil; cabelos e barba formaram as estrelas; de sua pele e pêlos brotaram árvores e outros vegetais; os dentes e ossos deram origem às rochas e pedras preciosas; o seu suor foi fonte do orvalho e da chuva. Os homens, em reverência a Pan Ku, criaram um túmulo de 300 milhas de comprimento, A Muralha da China.
Esse dragão está representado no cabeçalho de nosso site e blog. É aquela imagem verde no fundo.