12 de setembro de 2011

Zhen Wu, o Guerreiro Perfeito

Zhenwu
Para alguns ele veio do Deus da Terra e do Céu, para outros do Deus da Água e para os demais ele era um ser humano que foi muito austero. Há uma vertente que diz ser uma das 99 almas do Imperador de Jade que desceu à Terra para ver os cinco fluxos de luz dourada - espíritos dos cinco elementos - que saíam da árvore no alto da montanha de Wudang.
Zhen Wu era representado pelos animais símbolos do norte no sistema das Cinco Fases, uma tartaruga entrelaçada com uma cobra. Esse emblema era, até o século 11, chamado de "O Guerreiro Negro" (xuanwu), quando foi trocado pela forma humana e passou a ser reconhecido como "O Guerreiro Perfeito" (zhenwu). 

Desse dia em diante, Zhenwu rapidamente se tornou uma das divindades mais importantes do Taoismo e do Budismo por ser conhecido como o protetor do Estado e da família real.
Um dos templos mais importantes e sagrados do Taoismo e principal local de veneração de Zhen Wu fica na montanha de Wudang na província de Hubei.
Durante a dinastia Song (960-1127 d.C.), a veneração a essa divindade, entre os soldados rasos e os oficiais militares, ficou proibida devido ao estado de excesso de auto-confiança e sensação de invulnerabilidade que os expunha à derrota. Para se ter uma ideia, a professora de estudos religiosos Shi-yi Chao da universidade americana de Rutger, descreve que um ritual a Zhen Wu realizado por um militar de baixo escalão (1126/1127 d.C.),  prometia que o exército que defendia a cidade Guo Jin ficaria invisível perante os olhos dos invasores juchen, o que culminou na óbvia derrota desastrosa do exército Song.