28 de novembro de 2011

Kung Fu na China

Kung Fu na China
Data-se a partir dos "Estados Guerreiros" a necessidade de se aperfeiçoar em técnicas marciais para a defesa de uma nação e, assim, possibilitar o seu desenvolvimento.


Sabe-se que durante a dinastia Qin (221 a 206 a.c.), marcada pelo famoso imperador Qinshi Huangdi e seus soldados de terracota, os tempos eram de paz e com pouco desenvolvimento em termos de aparatos bélicos. Entretanto, Qinshi Huangdi deixou dois legados de suma importância para a história. O primeiro é devido ao fato de ter sido um ávido colecionador de espadas, o que permitiu o incentivo à pesquisa voltada à fabricação de espadas com formatos e materiais diferentes. A outra herança que Qinshi deixou foi o grande incentivo a prática do combate corporal, que era conhecido como Jiaodi .

A partir daí criaram-se muitos torneios de combate com armas e mãos-livres, tanto para entretenimento da corte como uma prova de seleção de oficiais das forças armadas dos imperadores. Devido à necessidade de utilizar as técnicas desenvolvidas em suas forças militares, diversos nobres e generais passaram a escrever tratados sobre as suas técnicas marciais de mãos-livres e com armas.

Guerreiros de Xian
Aproximadamente em 1860, por abrigar o governo e necessitar de lutadores experientes para o exército, Beijing tornou-se um grande centro de intercâmbio entre praticantes de artes marciais e muitas escolas famosas foram estabelecidas lá. Consequentemente, praticantes de estilos como Tai Chi Chuan, Bagua e Xingyi passaram a transmitir experiências entre si, dando origem aos estilos de Wudang, também conhecidos como os estilos internos. Surgiram grandes nomes nessa época, como os peritos em Bagua, Cheng Tingua e Yinfu. Caso especial sendo o do Yinfu, que se tornou guarda pessoal da Imperatriz.

A China passou a ter relações comerciais com os europeus no século XIX, exatamente na mesma época que atravessava uma profunda crise interna sob o comando da Imperatriz Cixi e seus ministros. Com essas relações comerciais, os europeus puderam ter seu primeiro contato com as artes marciais chinesas. Esse contato se deu através de batalhas travadas contra os "Boxers", sociedades secretas formadas por praticantes de artes marciais. Os "Boxers", incentivados pela Imperatriz, se organizaram para matar todos os estrangeiros que haviam invadido e repartido o país em territórios comerciais. Contudo, o poderio bélico dos estrangeiros, que possuíam rifles e canhões, era muito maior resultando no extermínio dos "Boxers" em pouco tempo.

No início do século XX, o governo passou a promover a prática de artes marciais através de centros de treinamento com o objetivo de levantar a moral do povo chinês e o primeiro, e talvez mais famoso, tenha sido o Jingwu Tiyu Hui (Centro Atlético Espírito-marcial), fundado em 1909 por Huo Yuanjia em Shanghai.

Huo Yuanjia é o personagem interpretado por Jet Li no filme "O Mestre das Armas", que conta a história real da China nessa época.