20 de junho de 2012

Qi Gong: a magia dos filmes de kung fu

Monges Shaolin
Pele invulnerável a golpes de espadas, paralisar um inimigo com apenas um dedo e derrotar uma legião deles simplesmente com a força do qi emanado com apenas uma palma da mão.

Isso é o narrado nas lendas chinesas, ficções de artes marciais e filmes de kung fu.

Muitos chineses sonham em serem mestres nas artes marciais e, um herói do kung fu na concepção deles, é dotado de dons sobrenaturais e cumpre missões impossíveis apenas direcionando sua força interior (nei gong) que foi desenvolvida através de rigorosos treinos físicos, exercícios de respiração ritmados, concentração e meditação. Além disso, são mestres de qi gong (chi kung) e de outras técnicas das artes marciais que parecem “mágicas”.

Entretanto, muitas destas técnicas “mágicas” existem na vida real e não chegam a ser tão fantasiosas como nos filmes e histórias.

Enraizado na medicina tradicional chinesa, artes marciais e filosofia, o qi gong é uma prática antiga que cultiva e equilibra o qi. É bem conhecido pelos benefícios que traz a saúde assim como o Tai Chi. Muitos mestres de artes marciais o praticam por muitos anos afim de tentar conectar as energias dos meridianos e atingir a força intrínseca da vida.

O qi gong recentemente virou matéria da primeira pagina dos jornais chineses e gerou muitas controvérsias quando médicos da província de Gansu alegaram terem conseguido abrir e conectar dois meridianos fundamentais, ren e du, com apenas nove dias de treino. Supostamente os benefícios à saúde propiciados por esta conquista seriam enormes.  Notícias recentes dizem que alguns praticantes sentem queimações no fígado e uma sensação de água fervente no cérebro quando abriram estes meridianos ou canais. Alguns dizem que as enfermidades foram curadas ou aliviadas.


Na medicina tradicional chinesa, o meridiano de ren (a veia da concepção) e o meridiano du (a veia diretora) são dois importantes canais energéticos que correm verticalmente e paralelamente à frente (ren) e atrás (du) do corpo.

Meridianos de ren e du


Nas ficções do kung fu, o desbloqueio e a conexão destes meridianos sucessivas vezes aumenta drasticamente a energia interior e faz com que o praticante de arte marcial se encha de poder e renasça em um “super corpo”.

Estas extravagancias explicam porque muitas pessoas são céticas sobre os poderes do qi gong. De acordo com Jason Yao, praticante do qi gong a 40 anos, debloquear os meridianos de ren e du não é tão difícil quanto descrito na ficção. A prática não traz superpoderes, mas é benéfica para a manutenção da saúde. Yao diz que nunca sentiu sentimentos mágicos de água fervente no cérebro, mas se sente renovado após a conexão dos meridianos fazendo com que a energia flua utilizando exercícios mentais e movimentos físicos.

“Entende-se que pessoas exagerem sobre o poder do qi gong uma vez que a maioria das informações vem da ficção.” diz David Deng, treinador do Clube de Cultura Taoista e Kung Fu de Shanghai. “Mas também não significa que tudo o que se escuta sobre o kung fu é falso.”


Atriz de um filme de kung fu voa sobre a cachoeira
Nesta série de matérias, vamos apresentar as principais técnicas demonstradas nos filmes de artes marciais, mais especificamente de kung fu.