19 de setembro de 2014

Filme: Câmara 36 de Shaolin

Câmara 36 de Shaolin
Criado em 1978, Câmara 36 de Shaolin, conta a lenda do monge de Shaolin do Sul San Te vem à tona nessa obra épica dos irmãos Shaw e o diretor de ação Lau Kar-leung. Em seu terceiro papel como protagonista, Gordon Liu proporciona em uma performance marcante do inabalável Liu Yu-de, um estudante que viveu durante a dinastia Qing que fora chamado à rebelião anti-governamental.


Quando o implacável general General Tien Ta (Lo Lieh) ordenou seu tenente sanguinário Tang San-yao (Wilson Tong) a liderar uma operação de repressão aos rebeldes em Cantão, os amigos e familiares de Yu-de foram mortos e ele conseguiu fugir. Com as autoridades Manchu mantendo a proibição dos treinos de artes marciais e armas, Yu-de jura aprender Kung Fu viajando ao Templo Shaolin, o último reduto das artes marciais dentre a população oprimida Han. Apesar do templo fosse fechado para leigos ele consegue a permissão de se tornar um monge com um novo nome de San Te.
Em cinco anos ele domina todas as 35 câmaras no templo e prepara-se para criar a 36ª câmara, onde leigos de fora podem aprender Kung Fu Shaolin. Enquanto recrutava discípulos, San Te encontrou seus antigos inimigos de Manchu a junta-se a seus novos pupilos na luta. 

San Tien Kuan em Câmara 36 de Shaolin


Câmara 36 de Shaolin é o melhor filme de Lau, que veio das sombras de seu mentor Chang Cheh vários anos depois a se tornar um dos melhores cineastas desse gênero. Tudo devido aos seus anos de experiência  como diretor de ação e dublê em Hong Kong, além de ser mestre em seus próprio estilo Hung de Kung Fu. O filme contém cenas excepcionais de ação marcadas por intrincadas formas de mãos livres, espadas duplas e San Tien Kuan (bastão de três secções) que opõe Liu aos maiores do gênero incluindo Lo Lieh, Wilson Tong e Lee Hoi-sang.

Ainda a maior atração fica para as cens elaboradas representando criativos meios de treinar a forma física e as artes marciais. Poucos filmes, além daqueles relacionados à Shaolin de Joseph Kuo, aprofundam tanto nesse assunto e são tão bem trabalhados com o esse.

O filme ainda se beneficia do melhor do trabalho de produção dos Irmãos Shaw, incluindo sua vívida cinematografia, os melhores cenários e seus vasto elenco.